Central Integrada de Regulação de Fortaleza (CIRF)

Secretaria Municipal de Saúde

CENTRAL INTEGRADA DE REGULAÇÃO DE FORTALEZA 

 

A saúde é um direito fundamental do ser humano. A universalidade, a equidade e a integralidade são princípios básicos do SUS e a regionalização e a hierarquização da rede de serviços de saúde fazem parte da descentralização político-administrativa já previstas desde 1990, pela Lei 8080.

Esse recente processo de descentralização, na área da saúde, necessita de uma forte capacidade gestora de estados e municípios na construção de uma rede de serviços presente e eficiente, mas para que seja eficiente é essencial o planejamento conjunto de ações e o estabelecimento de referências pactuadas.

Com o SAMU, o usuário passa a ter um maior e mais rápido acesso ao SUS e isso necessita que toda a rede acompanhe essa célere e crescente demanda.

Para isso, fez-se mister uma melhor organização das portas de entrada hospitalares de urgência e uma total organização das unidades de reabilitação e da atenção primária de saúde, no recebimento e reintegração desse usuário à vida social, na fase pós-hospitalar.

Por isso sabemos que a função assistencial, com acolhimento, classificação de risco e resposta apropriada (que pode variar de uma simples orientação médica até o envio de uma Unidades de Suporte Avançado de Vida) é apenas parte das funções do SAMU 192. Digamos que é apenas um terço de sua função pois o SAMU 192 foi concebido para:

  • Regular a assistência, acolhendo às demandas do usuário pelo telefone gratuito 192...
  • Regular o atendimento de urgência de uma região, com suas portas hospitalares e pré-hospitalares, pela sua capacidade de ser um observatório privilegiado do sistema, podendo por isso...
  • Auxiliar na gestão, fornecendo relatórios da situação das unidades de saúde de sua região

Fortaleza apresenta uma grande densidade populacional, nos seus 2 mihões e quatrocentos mil habitantes. Em outubro último o SAMU Fortaleza atendeu com envio de viaturas a 3.599 solicitações telefônicas, sendo 2.127 classificadas como de nível 2 (envio de Unidades de Suporte Básico) e 368 classificadas como de nível 1 (envio de Unidades de Suporte Avançado). Desse total de 3.599 solicitações, nossas 04 Unidades de Suporte Avançado foram acionadas 537 vezes, dando uma média de 18 ocorrências por dia.

A gestão municipal, atualmente, está investindo na completa integração de suas redes de regulação, através da união da sua Central de Regulação Médica das Urgências com sua Central de Regulação de Internamentos, que desde 01 de dezembro de 2011 estão funcionando no mesmo local, na sede da CIOPS. Estamos concretizando o sonho de dar a atenção integral ao usuário do SUS que procura nossa rede, numa organização já prevista na Política Nacional de Regulação: 

  • se ele precisar ir a um hospital de uma forma urgente, a Central de Regulação das Urgências acionará o SAMU.
  • se quando ele chegar ao hospital necessitar de uma internação, a Central de Internamentos o atenderá.
  • mas se ele precisar apenas de uma consulta ou de exames, nossa Central de Marcação de Consultas e Exames Complementares o atenderá

Nesse sentido, um Complexo Regulador Assistencial ligado ao Sistema Único de Saúde compreende a concepção que institui ao poder público o desenvolvimento de sua capacidade sistemática em responder às demandas de saúde em seus diferentes níveis e etapas do processo de assistência, enquanto um instrumento ordenador, orientador e definidor da atenção à saúde, fazendo-o de forma rápida, qualificada e integrada, com base no interesse social e coletivo.

Dra. Ana Maria Carvalho Fontenele
Secretária de Saúde de Fortaleza
Discurso de Abertura do I Congresso Brasileiro de Regulação Médica (Fortaleza, 12/11/2011)

 

 

 

Secretaria Municipal de Saúde

 

 

Visitantes
724
Artigos
197
Ver quantos acessos teve os artigos
334908

On-line

Temos 2 visitantes e Nenhum membro online

Usuário